Aérea britânica deixará assentos do meio livres

247
0

Aérea britânica deixará assentos do meio livres! A decisão da companhia britânica EasyJets leva em consideração, principalmente, as regras de isolamento social para evitar riscos relacionados ao COVID-19.

No momento, toda a sua frota de aviação está com as atividades suspensas, desde março.

Porém, a expectativa da empresa é de que, quando retornar com suas atividades normais, a iniciativa promova mais saúde entre seus usuários.

Além disto, incentive as pessoas a voltarem a voar.

Aérea britânica deixará assentos do meio livres

A opinião do presidente da EasyJets

De acordo com Johan Lundgren, presidente da companhia, esta é uma medida importante para manter o bem-estar dos clientes. Assim, conforme sua ideia, há um plano de ações já pré-estabelecido pela EasyJets:

  • Além de manter os assentos centrais vagos, a empresa também pretende ouvir opiniões de seus clientes sobre outras medidas que sejam corretas tomar;
  • Para ele, a medida pode ser apenas temporária e adotada inicialmente quando as atividades forem retomadas;
  • Entretanto, tudo vai depender dos próximos passos da pandemia e da normalização das atividades da companhia.

A proposta, segundo Lundgren, é de que os passageiros sentem-se ao lado da janela, ou no corredor em uma configuração de três lugares. Assim sendo, essa medida fará com que a distância social necessária para se proteger do coronavírus seja respeitada entre os presentes.

Perspectivas para o futuro

A proposta de implementação de assentos livres está ligada ao fato de que a empresa espera não haver grande número de passageiros quando retomar suas atividades. Assim sendo, trata-se de uma estratégia para avaliar se este novo método de viajar dará certo:

  • A empresa já declarou, portanto, que está levando toda a situação com toda a seriedade que é necessária. Por isto a ideia é priorizar a saúde de todos;
  • Com relação as reservas para voos de inverno, o movimento estava adiantado em relação ao mesmo período do ano passado. Isto aconteceu, sobretudo, pelo fato de que vários clientes remarcaram suas viagens pelo COVID-19;
  • Por outro lado, para clientes que precisaram obter reembolso de suas passagens, houve uma série de críticas na forma como a EasyJets conduziu as ações.

Diante deste quadro, portanto, a empresa procurou compensar estes problemas com várias vantagens. Entre elas está o fato de haver redução de custos para serviços específicos. Além disto, para cortar despesas a EasyJets também adiou a entrega de 24 novas aeronaves da Airbus.

Outras informações sobre a EasyJets

Para a companhia, é importante que haja clientes assim que retornar suas atividades. A EasyJets poderá ter uma perda de até 380 milhões de libras devido aos gastos que teve causados pelo surto de coronavírus. Além disto, a companhia manteve uma lista completa de funcionários que não atuou nos voos cancelados, porém, tiveram que ser pagos da mesma forma.

Assim como várias outras empresas do segmento, a companhia aérea enfrenta um grande nível de incerteza. Porém, sua política de redução de custos e readequação de normas de saúde em prol do bem-estar dos clientes se mantém firme.

Por isto, há uma boa expectativa para quando suas atividades retornarem, beneficiando tanto usuários de seus serviços quanto a própria empresa.

Se gostou dessa notícia Aérea britânica deixará assentos do meio livres, veja nossas dicas para viagens ao Reino Unido!



Deixe seu Comentário

×Fechar