quinta-feira, outubro 6, 2022
spot_img
HomeEuropa e DemaisDevo cancelar uma viagem para a Europa por causa da guerra na...

Devo cancelar uma viagem para a Europa por causa da guerra na Ucrânia?

Pensa em cancelar uma viagem para Europa por causa da guerra na Ucrânia? Se você tem essa dúvida, saiba que ela é recorrente. O conflito entre Rússia e o país trouxe uma série de incertezas que se manifestam tanto em âmbito político como econômico. E assim, afetam a vida das pessoas em todo o mundo.

Além disso, naturalmente, devido à proximidade geográfica ou ainda pelo Covid, os países da Europa adotaram algumas restrições para a circulação de turistas. Mas fique tranquilo, pois muitas viagens ainda podem ser efetuadas normalmente.

Veja nesse artigo algumas dicas e informações adicionais sobre viagens para a Europa em meio à guerra na Ucrânia. Saiba quais as regiões mais seguras e qual o tipo de cuidado que deve ser adotado, tanto no planejamento de sua viagem como na obediência às regras que devem ser seguidas para ter a segurança adequada durante a circulação nesses lugares.

Devo cancelar uma viagem para a Europa? Ainda é seguro ir, conforme especialistas

Até o momento, ainda é possível realizar viagens com segurança para a maioria dos países europeus. Somente a Ucrânia e a Rússia têm em vigor avisos de “Não viajar” do nível 4. Estes são documentos concedidos pelo Departamento de Estado dos EUA. Contudo, é importante mencionar que outras nações afetadas pela crise possuem outros graus de qualificação de riscos – e não com relação à guerra.

Um exemplo disso é a Polônia, que atualmente está listada em um aviso de nível 4. Mas este é no que diz respeito às restrições por conta do Covid-19. Assim, de uma forma geral, os países estão recebendo normalmente visitantes de outras nações. Isto, claro, desde que cumpridas as exigências de documentos e outros requisitos para circular pela Europa.

Então, não precisa cancelar uma viagem para a Europa pelo conflito. As operadoras de turismo oferecem normalmente os planos de viagem, apenas com exceção daqueles que passam pela Rússia e Ucrânia. De acordo com especialistas ouvidos pela reportagem publicada no site da CNN Brasil, o setor está buscando alternativas para se aquecer após a decorrência da pandemia.

Seguros Promo

A opinião de especialistas sobre cancelar uma viagem para a Europa

De acordo com um porta-voz da operadora de turismo Rick Steves, os planos de execução de pacotes continuam os mesmos após o início da guerra. Ele afirmou que a empresa “pretende executar todos os roteiros da Europa Oriental, até o chamado pacote “Best of Poland”, um dos mais destacados. Ele pondera que os únicos passeios que efetivamente não foram cancelados são os que possuem paradas ou destinos na Rússia.

Ainda conforme especialistas em segurança ouvidos pela CNN, há outro ponto importante. Alguns dos destinos mais frequentados pelos turistas, como Barcelona, Roma e Paris, por exemplo, estão localizados a centenas ou a milhares de quilômetros da zona na qual ocorre o conflito na Ucrânia.

Greg Pearson, CEO e fundador da Care & Assistance Plus (CAP) –  serviço recém-lançado de viagens e assistência de crise pela empresa global FocusPoint International – aponta que o momento ainda é tranquilo para planejar uma viagem. “Você não precisa ter este tipo de ansiedade, que é o que mais vejo agora. As pessoas talvez estejam cancelando prematuramente seus planos, e acho que não chegamos nesse ponto. O que virá depois é só suposição, mas, em relação a viagens à Europa Ocidental, acho que é possível viajar em segurança”, disse ele.

viagem 2
Seguros Promo

Situação é mais complicada para viagens em países mais próximos à Ucrânia

Alguns países mais próximos, como República Tcheca e Alemanha, mesmo que não façam fronteira com a Ucrânia estão registrando um redução significativa no número de buscas por viagens. Ainda de acordo com o CEO da Care & Assistance Plus, Greg Pearson, aproximadamente 30% dos seus clientes cancelaram ou adiaram viagens nas últimas semanas. Uma parte deles acabaram transferindo seus voos para países situados na Europa Ocidental, ou seja, mais afastados do conflito. 

Pearson aponta ainda que existe uma crescente preocupação dos viajantes de cruzeiros marítimos que têm paradas previstas em países da Europa Oriental. Para ele, porém, esses medos são infundados. “O conselho que damos é ‘com certeza saia do barco’ [e faça o passeio]”, disse Pearson. “As pessoas precisam desses dólares de turismo, querem vê-lo, eles querem que você visite seus restaurantes e lojas, então queremos que as pessoas façam isso. O nosso mantra aqui é viajar sem medo, mas viajar informado e permanecer conectado”, destaca.

Mesmo se não cancelar uma viagem para a Europa, guerra pode influenciar mais que pandemia na decisão de ir para lá, segundo pesquisa

Segundo reportagem publicada no site da CNN Brasil, uma pesquisa recente conduzida pela MMGY Travel Intelligence aponta que a Guerra na Ucrânia é duas vezes mais provável de provocar efeitos nos planos de norte-americanos para a Europa do que a pandemia do Coronavírus.

Ainda de acordo com o site, foram entrevistados 350 viajantes adultos dos EUA que possuem planos futuros para visitar a Europa. Desses, 62% disseram que a invasão é um fator considerado no planejamento das viagens. Já 31% que citaram preocupações de saúde e segurança da Covid-19. Além disso, 47% afirmaram que estão aguardando a evolução da situação antes de fazer planos para visitar a Europa este ano.

Esse “modo” de espera configura uma preocupação para o setor como um todo. Isto tendo em vista que os EUA são o segundo maior grupo estrangeiro que mais busca viagens para a Europa. O destino fica atrás somente do Reino Unido.

De acordo com Christian Tänzler, porta-voz do Visit Berlin, os europeus irão realizar viagens pela Europa como ocorre normalmente para as férias de primavera e verão, mas essa tendência pode não se repetir com relação ao público dos EUA.

Embora ainda não tenha sido constatada uma quantidade significativa de cancelamentos de viagens até o momento, existe uma incerteza muito grande. “Ninguém sabe, realmente, se as pessoas começarão a cancelar por causa da situação. A incerteza é algo muito difícil”, apontou.

Um dos destinos para os quais houve redução de viagens previstas, como é o caso da Alemanha, é considerada “absolutamente segura” por Tänzler. “No fim de semana passado, em Berlim, os cafés, bares, restaurantes foram todos cheios”, contou Tänzler. “Tudo estava lotado. Todo mundo estava sentado lá fora. Era como um dia normal da primavera”.

Dados de pesquisas de viagens de avião caíram

Não vai mais cancelar uma viagem para a Europa? Bom, se forem observados os dados de viagens de avião, essa tendência se repete. Conforme relatório da Hopper, app que serve para localizar voos disponíveis, na mesma medida em que houve redução do número de pessoas infectadas com a variante Ômicron aumentou o número de pesquisas de voos de ida e volta para a Europa a partir dos EUA.

Mas a partir do momento em que a guerra se deflagrou, os índices de busca por itinerários começaram a apresentar queda. Segundo as informações da Hopper, desde 12 de fevereiro as reservas internacionais dos EUA para Europa tiveram uma queda de 21% para 15%. Isso representa uma redução de aproximadamente 30% das reservas internacionais em relação ao ano antes da pandemia, em 2019.

viagem 3

Tenha um plano de emergência para a sua viagem

Mesmo se não cancelar uma viagem para a Europa, é importante que você tenha planejadas ações para serem efetuadas tanto no caso de uma guerra como durante uma pandemia. Assim, disponha de um seguro confiável e buscar políticas flexíveis de reserva para passagens aéreas e acomodações. Dessa forma, você não é penalizado caso seja necessário efetuar a transferência ou cancelamento de sua viagem.

Muita opções de hospedagem no Booking.com dão direito a cancelamento até um dia antes da data marcada.

Além disso, antes de sair para a viagem, certifique-se de fazer cópias de documentos de viagem importantes, como passaportes e certificados de vacinas. Outra dica fundamental é descobrir o consulado de seu país, ou um outro local para o qual você possa ir caso ocorra alguma emergência. Para Tim Hentschel, cofundador e CEO da HotelPlanner – provedor de serviços para o mercado global de vendas de hotéis – ter um plano de emergência é a regra a ser seguida para sair com segurança de áreas no caso de um eventual alastramento da guerra para outros países. “Se a guerra se espalhar pela Europa Oriental ou em um centímetro de solo da OTAN, você deve ter um plano para evacuar ou sair para uma área mais segura. Tenha sempre um plano de emergência sempre que viajar para uma cidade estranha para você”, ressalta.

Essas são dicas muito importantes. Assim, além de não precisar cancelar uma viagem para a Europa, você também terá mais segurança de tudo correrá bem.

Veja mais matérias aqui com a gente!

Já pensou em trabalhar dirigindo um caminhão nos Estados Unidos? Olha isso!

O Canadá vai precisar de imigrantes logo mais!

Como morar fora depois da pandemia!

Conheça o Mundo sem sair de casa com esses 8 documentários

Gosta de futebol? Divirta-se e informe-se no Futeblog.com.br

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment - Seguros Promo

Mais populares