Atualizando as dicas de Londres: muito além do Palácio de Buckingham!

161
0

Conhecer uma grande cidade pode ser uma tarefa infinita. As maiores metrópoles do mundo abarcam um número grande de atividades culturais em parques e museus, bares e restaurantes, além dos obrigatórios pontos turísticos de primeira viagem.

Até mesmo quando você mora em uma destas cidades, é impossível saber cada detalhe como aquele lugar quase secreto, aquela dica do ‘profundo’ conhecedor ou historiador local, seja em Londres ou Tóquio, ou até mesmo em nossa megalópole paulistana.

Falando em Londres, é sobre a capital inglesa que trataremos aqui.

Foto by Jens Moser

Foto by Jens Moser

Você que visitou Londres algumas vezes, para participar de algum evento, ir a uma conferência de trabalho ou apenas a passeio, já viu a troca de guarda do Palácio de Buckingham, visitou a abadia de Westminster, passou não sei quantas vezes pelo Big Ben e rodou outras duas pela London Eye. Comeu todo o fish and chips que havia disponível, conheceu os melhores pubs.

A cidade pode não ser uma novidade na sua vida, mas ainda há muito o que ver e fazer. Uma boa sugestão é visitar o Borough Market e o The Sharp – respectivamente um mercado e um arranha-céu para agradar todos os gostos. Para além dele, ainda há várias coisas bacanas em Londres que nem todos conhecem.

O país de Agatha Christie e Sherlock Holmes guarda uma paixão por histórias de mistérios e crimes. Uma das atividades que mais chama a atenção é a Escape Room, uma sala ambientada de acordo com algum tema histórico ou ficcional, em que você e seus amigos são ali encerrados. A tarefa é descobrir uma forma de sair, que pode ser encontrando uma chave para um enigma proposto, uma alavanca secreta, o desvendar de algum crime. Jogo de origem japonesa, é uma mistura de desafios de charadas e estratégias em grupo para solução de problemas.

Existem inúmeras escape rooms em Londres, mas os destaques ficam para a Omescape, que pode te levar para uma penitenciária ou um laboratório químico com perigo de contaminação. Outra opção nesse sentido é a Room 33, cujo cenário transporta os jogadores para o século XVII na China e em uma espécie de máquina do tempo, os devolve ao British Museum, com direito a lasers, a la Missão Impossível. Os jogos costumam ter duração de uma hora e valem cada minuto.

Outra grande opção é assistir a uma partida da Premier League. Tão apaixonados quanto nós pelo esporte, os ingleses levam o investimento a sério em todos os aspectos. Preparam-se com antecedência, esgotam os ingressos dos estádios e acabaram por transformar o campeonato em um dos mais rentáveis do mundo. Alguns de nossos maiores jogadores fazem parte dos melhores times e são sempre partidas de alto nível, que divertem até mesmo quem só vai pela torcida. Dois clubes londrinos, Chelsea e Arsenal, estão no topo do campeonato no ranking de mais vitórias ao longo da história.

É preciso se programar com antecedência para o investimento e não perder esta oportunidade.

 Foto by Pascal Swier

Foto by Pascal Swier

Agora, se você é fã de jogos de tabuleiro, não pode deixar de ir ao Draught no centro da cidade, uma cafeteria com nada menos do que oitocentas opções. O local conta com torneios sazonais, regados a ótimas cervejas artesanais e comida farta. Para continuar pelos bares e cafés e sair do tabuleiro, siga rumo ao norte da cidade para o The Lion, com mesas de sinuca e totó (ou pebolim), uma jukebox de respeito e as amadas máquinas de pinball.

A cidade poderia carregar a fama de nunca dormir, como Nova York, pelo volume de atividades que oferece – e olha que sequer citamos os jogos ingleses mais tradicionais, como o tênis de mesa – tradição da aristocracia – o rúgby ou o críquete. Importante mesmo é se deixar guiar pelo que mais te agrada e sair pela cidade descobrindo as pérolas escondidas do já imenso cardápio de atividades das primeiras visitas. Fique tranquilo, em todo caso: com certeza, na capital da rainha, a diversão é garantida!



Deixe seu Comentário

×Fechar