Faça você mesmo: veja como o isolamento interferiu na vida das pessoas

443
1

Faça você mesmo: veja como o isolamento interferiu na vida das pessoas. Por mais que o afastamento social tenha mostrado vulnerabilidades humanas e falhas comportamentais, também mostrou muita criatividade.

Neste período de afastamento social, o que mais se buscou foi fazer. Fazer para preencher o tempo, distrair. Contudo, mais do que isso: fazer porque é necessário, preciso. Assim, não admira que esta tenha sido a busca mais constante no Google nos últimos tempo, os tempos de pandemia.

Todavia, é fundamental reconhecer que não é de hoje esta propensão a criar. O ser humano por si só já se sente frequentemente em estado de criação. Por necessidade, instinto ou mesmo o puro ócio criativo. O Brasil é exemplo. Desde memes até grandes soluções para problemas cotidianos de quem leva uma vida com mais privações, diversas invenções surgem.

A internet mostra conteúdo suficiente para comprovar a criatividade deste povo. E talvez este seja apenas um período propício para mostrar essa característica.

O espírito produtor sempre presente na realidade do país, mas questões econômicas e até mesmo falta de alternativas, influenciaram. As reduções de jornada de trabalho comprometeram a renda, e a paralisação dos serviços não essenciais também.

A situação que deixou os donos de produtos e serviços inativos, interferiu na sobrevivência deles. Entretanto, também afetou a rotina das pessoas, que passaram a ser obrigadas a realizar tarefas nada familiares.

Para melhor compreensão, é preciso pensar nos fatores que estimularam este faça você mesmo, de que forma ele se mostrou. Bem como quais os reflexos desta situação no futuro tão próximo que chega a ser presente.

faça você mesmo - vaso

Os dados da rede como medidor para o comportamento “faça você mesmo”

Usando como referência o termo “como fazer”, a filosofia “do it yourself” (faça-você-mesmo) apresentou crescimento no Google. O conceito do termo se refere a construção, reparação e modificação das coisas sem supervisão de uma autoridade no assunto.

Foram 25 pontos na popularidade de buscas feitas neste intuito, entre 01 de janeiro e 05 de junho de 2020. Além das buscas, perfis também acabam sendo identificados. De acordo com a mesma pesquisa realizada, no Brasil, existem aproximadamente 30 milhões de pessoas interessadas em do it yourself.

Destas:

  • 70% corresponde a mulheres;
  • 30% correspondem a homens;
  • A maioria entre 25 e 34 anos de idade;
  • 55% são casados;
  • 63% possuem nível superior.

Os “buscadores” de “como fazer” sem a ajuda de um especialista, principalmente neste período de quarentena, ainda se manteve constante.

ferramentas do it yourself

Outras informações interessantes sobre o termo fazer

Apesar das variações diárias nos principais temas buscado, alguns predominaram. Notícias sobre vacinas, tratamentos, sintomas, decretos e auxílios governamentais influenciaram estas pesquisas de populares.

No geral, os principais termos que impactaram nas buscas dos brasileiros desde o começo da pandemia, foram:

  • 1 o que fazer se estiver com coronavírus;
  • 2 o que fazer em caso de suspeita de coronavírus;
  • 3 o que fazer na quarentena;
  • 4 o que fazer se estiver com sintomas de coronavírus;
  • 5 o que fazer para aumentar a imunidade.

A partir disso, foi possível observar a compreensão de como surgiu o coronavírus, o que é coronavírus e quais seus impactos no Brasil. Bem como, a busca pela previsão do fim da pandemia no país e quando será o pico da doença no Brasil. E as tais respostas continuam, dentro deste contexto, nos principais canais de comunicação do país.

Com a repetição do termo “O que fazer”, buscou-se, então, no Google, as principais orientações referente aos sintomas do coronavírus Assim demonstrando uma maior preocupação com a infecção do vírus e com a identificação do COVID-19, como:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Cansaço;
  • Dificuldade respiratória (casos graves);
  • Perda de paladar;
  • Descoloração de dedos dos pés e das mãos.

Veja nossa matéria de remédios naturais para dormir. Feita para quem tem medo de avião ela também serve para quem está em casa nesse momento. 

Despertando a proatividade na quarentena

Receitas diversas, como da produção caseira de máscaras de proteção também aparecem nestas buscas. De acordo com as buscas principais ou mais frequentes e também em ascensão, habilidades culinárias tiveram destaque:

  • 1 como fazer bolo;
  • 2 como fazer arroz;
  • 3 como fazer pão; (nós fizemos, veja o vídeo abaixo)
  • 4 como fazer pipoca; 
  • 5 como fazer queijo.

Além disso, preocupações com a saúde e o risco de contaminação se destacaram nas buscas em ascensão. E isso levou à procura de métodos ou alternativas diversas também.

A busca por métodos caseiros de produção de máscara de tecido e álcool em gel são exemplo. Outras como procuras pelo auxílio emergencial do governo e o cadastro único também estão entre as principais. Ademais:

  • 1 como fazer máscara de tecido;
  • 2 como fazer cadastro do auxílio emergencial;
  • 3 cadastro único 2020 como fazer;
  • 4 como fazer álcool gel;
  • 5 como fazer álcool em gel.

do it yourself faça você mesmo máscara

Assim, mesmo aceita e reconhecida a interferência do período na conduta destes usuários da rede, este comportamento foi além. A prática de confecção manual foi comprovada como um comportamento histórico e em ascensão na realidade brasileira. E, isso pode servir como norteador para o trabalho de profissionais de marketing. Afinal, aponta tendências que colaboram para a compreensão deste cenário de pessoas mais autônomas.

Fatores que estimularam a cultura do faça você mesmo

Mais do que uma cultura, uma necessidade. Talvez sejam sempre as tais “coisas que faltam” que levam as pessoas a criarem. Por isso, é dever analisar os pontos da pandemia do coronavírus que impulsionaram ainda mais o perfil criativo dos brasileiros.

Isto aconteceu, inclusive, pelo fato de que muitos serviços sofreram restrições por não serem considerados essenciais, como serviços de estética, comércio de bens e de rua, e até mesmo de lazer.

Farmácias, supermercados, padarias, açougues, postos de combustíveis, distribuidora de água e gás e clínicas veterinárias de emergência são considerados essenciais. Além de empresas que produzem, distribuem e comercializam alimentos, produtos de higiene e de saúde.

A condição dos serviços essenciais não altera o fato de que devem evitar concentração de público. O campo é imenso, principalmente apontando aqueles que foram considerados essenciais a nível de país, conforme listagem abaixo:

  • 1 Serviços estratégicos, como elétrico e petrolífero;
  • 2 Atividades científicas relacionadas ao coronavírus;
  • 3 Trabalho das advocacias públicas;
  • 4 Serviços de assistência social;
  • 5 Serviços de assistência à saúde;
  • 6 Serviços de telecomunicação;
  • 7 Serviços de internet;
  • 8 Serviços de call centers;
  • 9 Serviços de transporte de passageiros por táxi ou aplicativo;
  • 10 Serviços de segurança;
  • 11 Serviços de defesa nacional;
  • 12 Serviços de defesa civil;
  • 13 Trabalhos relacionados à fiscalização ambiental;
  • 14 Trabalhos relacionados à fiscalização sanitária,
  • 15 Trabalhos relacionados ao recolhimento de lixo;
  • 16 Trabalhos relacionados ao tratamento de esgoto;
  • 17 Trabalhos relacionados à distribuição de água;
  • 18 Trabalhos relacionados à distribuição de energia elétrica;
  • 19 Trabalhos relacionados à distribuição de combustíveis; 
  • 20 O funcionamento de mercados de capitais e seguros.

É importante pontuar ainda que, serviços de comunicação e alimentação, por exemplo, continuaram atuando com diversas restrições. Todos precisaram se ajustar às novas normas de cuidado. E vários ainda sofrem o peso da necessidade e reflexos desta adaptação.

Iniciativas empreendedoras, reinvenção perante a crise e mudança de comportamento que veio para ficar

Videoconferências para suprir as reuniões e pijama da noite anterior como código de vestimenta do trabalho. Do outro lado, empresas do mundo inteiro e diferentes segmentos precisaram digitalizar a operação em tempo curto, para implementar ferramentas como vendas online e trabalho remoto para os funcionários. O impacto pode ser observado, inclusive, no consumo:

  • O tal pijama, chinelos e equipamentos de exercício, tiveram a procura aumentada pela conjuntura. Games, entretenimento e até itens de cozinha registraram algumas das maiores altas em buscas no Google desde que a quarentena começou. Os aparelhos para exercícios em casa, por exemplo, como equipamento de ginástica e musculação domésticos e tapete fitness, triplicaram. Produtos como bicicleta ergométrica e esteira também viram as buscas dobrar.

Faça você mesmo ginastica

  • A mesma pesquisa a partir de ferramentas do Google dizem mais sobre a quarta semana da quarentena. Termos relacionados a máquina de costura e máquina de lavar louças também cresceram, com altas de 64% e 22%, respectivamente. Na segunda semana pesquisada, a alta nas buscas por máquina de pão, que subiu 72% naquela semana, já havia ocorrido;
  • Já os itens de mercado tiveram alta acima de 8% desde a primeira semana da quarentena, e explodiram na quarta semana, de 4 de abril, quando as buscas subiram 43%. Aqui cabe o adendo do medo que permeou a rotina das pessoas. Móveis de escritório também foram bastante buscados neste período, com crescimento superior a 48%;
  • As categorias não tiveram só alta nas buscas, mas também nas compras. De acordo com dados da Compre&Confie, empresa de inteligência de comércio eletrônico, uma alta de 40% mostra esta subida. Conforme a mesma, em março, as compras pela internet diversas categorias foram elencadas. Entre elas, alimentos e bebidas, pet shop, esporte e lazer e instrumentos musicais. E, outra observação com a coleta destes dados é que, até então, são categorias historicamente pouco compradas online.

Por fim

É difícil comprovar, mas com certeza os dados apontam alterações de comportamento de grande parte das pessoas. A necessidade de sobrevivência, lazer e cultura, por exemplo, impactarão em toda a forma de relações entre pessoas e serviços. Entretanto, com isso, é sabido que os brasileiros estão cozinhando, se exercitando e jogando em casa. E isso tudo, mais do que antes, o que pode ser positivo. Se esta onda vai passar ou durar apenas na quarentena, não se sabe. Mas independentemente dos estímulos, é preciso que todas estas possibilidades sejam reconhecidas e comprovadas, e que, por fim, as pessoas façam elas mesmas e por si mesmas, mas façam.


Para ajudar a quem está em casa, separamos alguns dicas a mais! Veja abaixo!

10 Filmes românticos para chorar juntinho

4 Séries e filmes on line para ver em casa

Faça cursos de qualificação, faça e fique em casa

Comente a série ou filme que mais gostou, mande foto e marque o @ajanelalaranja no instagram.

Veja mais dicas abaixo! 

O Canadá vai precisar de imigrantes depois da pandemia

Veja como ser mais produtivo trabalhando de casa!

Como morar fora depois da pandemia!

Está com as crianças em casa na quarentena, veja nossas dicas para melhorar a rotina de vocês!

Veja também como será viajar depois da Pandemía!

Conheça o Mundo sem sair de casa com esses 8 documentários

Gosta de futebol? Divirta-se e informe-se no Futeblog.com.br



1 comentário

Deixe seu Comentário

×Fechar