Golpe em Paris!

163
29

Atualizado em 04/09/2010

A cidade é linda, mas o aviso é sério!

Existem golpes que vem sendo usados para levar a carteira de turistas deslumbrados em Paris.

Decidi postar aqui no blog depois de ouvir a mesma história algumas vezes e presenciar uma delas. Desse modo, quem está com viagem marcada fica mais esperto e não permite que uma coisa chata como essa estrague a viagem.

O golpe é simples, mas no momento que acontece ninguém percebe.

Um malandro deixa o bilhete do metrô ou cartão de banco cair bem na saída da escada rolante e abaixa para pegar causando aquele tumulto. As pessoas ficam se espremendo porque a escada não pára e o malandro está travando a saída. Ao mesmo momento um amigo e também malandro puxa a carteira do turista que está tentando entender o que está acontecendo.

Muitas vezes a carteira está no bolso da calça. Ah, não pense que precisa ser no bolso de trás não. Em dois dos casos os turistas estavam com a carteira no bolso da frente por já terem sido avisados que havia o perigo dos batedores de carteira.

O mesmo golpe também é aplicado na entrada do vagão do metrô. Nesse caso, o bilhete “cai” bem na porta que o turista está tentando entrar e o malandro se apóia na perna do turista para pegar o bilhete/cartão e leva a carteira em segundos. Desse modo ainda sai do vagão antes da porta fechar. O turista só percebe o golpe uma ou duas estações depois.



29 comments

  1. Kandy 28 junho, 2007 at 22:28 Responder

    Olá, Márcio! Eu vim agradecer seu gentil comentário no meu blog e me deparei com o quê? Fotos lindíssimas de um fotógrafo profissional! Eu adoro fotografia e gostei muito de todas as que vi aqui, mas a deste post especialmente. Parabéns pelo olhar privilegiado! Vou visitar sua Janela Laranja mais vezes, posso? Prazer em conhecê-lo!

  2. AC 28 junho, 2007 at 22:48 Responder

    Hahah! A Kandy por aqui!
    Também adorei as fotos todas, desse e de outros blogs seus.
    Agora, por favor, entre em contato com os malandros parisienses e peça pra eles virem fazer um workshop no Rio. Certamente, o Viva Rio financiaria um programa de redução de danos de assaltados. Ou A Arte do Furto, coisas assim. Daria até tese na USP.
    É delicioso morar num país onde BATEM carteiras! Aqui eles BATEM em vc até matar e nem levam a carteira.

  3. Simone 29 junho, 2007 at 06:43 Responder

    Eh França nao é um pais tranquilo como muitos pensam, uma amiga teve o apartamento invadido e roubaram varias coisas a pouco. JA fiquei sabendo de casos de estupros em bairros que tinha fama de ser seguros.
    Eh sempre bom tomar cuidado,
    beijos e tudo de bom

  4. Marcio Nel Cimatti 29 junho, 2007 at 07:04 Responder

    AC, concordo que não há comparação, mas é bom avisar porque ficar sem carteira acaba com uns 2 dias de viagem e nessa vai muito dinheiro.

    Só de ter que ligar para cancelar os cartões já é muito chato. Ficar sem cartão de crédito e sem dinheiro pior ainda.

    Sinome a coisa tá feia mesmo!

    Kandy, prazer é meu! Seu blog é bem legal!!

    Abrs!

  5. Ana 29 junho, 2007 at 07:07 Responder

    pois eh, marcio… cada vez mais dificil a gente se abestalhar em paz com as coisas lindas do mundo, ne? um olho no gato, outro na sardinha.
    ah, o obvio: amei as fotos! 🙂

  6. Edu Feijó 29 junho, 2007 at 08:02 Responder

    Fala Marcio,
    O frio da Nova Zelandia e um charme a mais neste pais de lindas paisagens.
    Parabens pelas fotos e pela materia de Dublin!
    Abs,
    Eduardo Feijo

  7. Diogo 29 junho, 2007 at 12:07 Responder

    marcinho, outra dica importante:

    aquelas placas nos metrôs que avisam “cuidado com a carteira” é um prato cheio pros pickpokets, porque inconscientemente, quando olhamos pras placas, botamos a mão no bolso e, ao mesmo tempo “avisamos” pra eles onde escondemos a grana…

    Assim como, aquelas máquinas de refri e chocolate tbm são um prato cheio, pois assim que compramos, ao devolver a carteira no bolso, tbm já entregamos o ouro pro bandido dizendo “guardo ela aqui, ó”…

    é um alerta!

  8. Patsy 29 junho, 2007 at 19:45 Responder

    Um destino delicioso, e que foto linda, adorei.

    Chato essas histórias, mas em todo lugar tem malandro bolando algum golpe novo. Tem que ficar esperto e não deixar estragar a viagem. Bjs.

  9. Rodrigo Purisch 29 junho, 2007 at 23:51 Responder

    Quanto a quesito carteira acho que Praga ganha. É só entrar no metrô lotado para começarem a te apalpar procurando a carteira. Leva a carteira, mas não apalpa não!

  10. Arthur 2 julho, 2007 at 20:39 Responder

    Oi Marcio, valeu a dica para evitar furtos. Não é só no RJ (se bem que no Rio eles metem a arma na sua cabeça e levam o que querem, foi-se o tempo dos batedores)…

  11. Nádia Lamas 7 fevereiro, 2009 at 09:32 Responder

    Oi, Marcio!
    O que não falta em Paris é golpe… tem o golpe do anel, uns amigos meus quase caíram no “golpe da jaqueta”, em que um cara “deu” pra eles jaquetas de couro novíssimas e depois pediu dinheiro… tem que ficar ligado. Bjs!

  12. haymar 26 abril, 2009 at 22:30 Responder

    Eu e meu marido também fomos vítimas do golpe da aliança, perto de Notre Dame, na beira do Sena. Uma cigana nos abordou, perguntando se era nossa a aliança que estava no chão. E começou a enrolar. Eu desconfiei justamente por ser cigana, e como no Brasil a gente fica em alerta, sobre as mesmas. Saímos rápido de perto dela e não a vímos mais. Quando a gente disse que não era nossa ela ofereceu de presente. Não sei qual era a intenção. Mais alguns amigos já foram também abordados, por ciganas ou rapaz bem vestido, Cuidado é Golpe;

  13. Marcio Nel Cimatti 27 abril, 2009 at 14:42 Responder

    Haymar e Nádia,

    Obrigado pela contribuição. Assim mais gente chega a Paris avisados dessas coisas chatas dessa cidade linda!

    Abs!

  14. Isa 6 novembro, 2009 at 13:06 Responder

    Mesmo em países que sao tidos como seguros, é sempre bom ficar atento em locais que tem muito turista. Moro em Berlim e aqui é a mesma coisa, quer dizer, a gente sempre é aconselhado a ter mais atencao em pontos turísticos ou locais com grande aglomeracao de pessoas. Nao é que ninguém vai chegar com uma arma e te ameacar, a maioria dos casos sao batedores de carteira. Mas é claro que nao é nada agradável estar em outro país e ter seus pertences, dinheiro roubado.

    Isa – (Pousada Morro de São Paulo )

  15. Marcia 6 janeiro, 2010 at 14:03 Responder

    Estive em Paris com meu marido e fomos abordados várias vezes com o golpe do anel; jovens, mulheres, homens, velhos…todos golpistas. Fui ameaçada por uma, que aos gritos fazia gestos de que iria cortar meu pescoço, porque alertei a uma turista desavisada. encarei-a, mas fiquei com medo de ser atacada por outros,que estavam à distancia. Felizmente,estava num local bastante movimentado e ela sumiu na multidão. Sou carioca e não sairia do Rio para cair em situações tão familiares,logo em Paris, né? Mas todo cuidado é pouco e amei a cidade-luz.

  16. Rosy 13 março, 2011 at 21:42 Responder

    Oi, gostei de te ver na Rede Gospel, sendo entrevistado p/ Bispa. Me chamou a atencao, pois estou indo p/ Paris com meu Marido semana q vem. Muito legal seu Site. Gostaria de saber se esta perigoso andar em Paris, pois sou uma pessoa exotica, gosto de usar muitos aneis, colares, e me vestir bem, chamo muito a atencao…
    acha q poderei chamar a atencao, sem ser assaltada?!

  17. Liliane 27 março, 2012 at 20:49 Responder

    Oi pessoal, estive no início de fevereiro e realmente em um pequeno descuido para colocar as luvas, foi-se minha carteira ( obs: todos os outros dias deixei em casa, não sei porque levei nesse dia). Foi na Catedral Sacre Cour – Montmartre e só percebi quando cheguei na NotreDame. Eles são muito atentos, um pequeno descuido de segundos..Na Torre Eiffel também há golpistas por todos os lados. Toda a atenção é válida. No mais, a cidade é maravilhosa!Um abraço.

  18. Renato 28 março, 2012 at 15:28 Responder

    Obrigado pela dica!
    Realmente, já fui roubado em Paris. Só percebi muito tempo depois, agora ando por lá bem atento!

    Fiquem de olho pessoal. 🙂

  19. Helena 29 março, 2012 at 09:09 Responder

    hahaha O da aliança é clássico! Eu e marido fomos abordados por uma moça, na saída do Louvre. Ela perguntava se a aliança era nossa. Dissemos que não e ela quis nos dar. Não aceitamos e fomos embora, desconversando. Andamos um pouquinho e na Champs Elisee um rapaz veio com a mesmíssima história. Com a aliança igualzinha! Aí, tivemos certeza que era golpe.

  20. Helena 29 março, 2012 at 09:10 Responder

    hahaha O da aliança é clássico! Eu e marido fomos abordados por uma moça, na saída do Louvre. Ela perguntava se a aliança era nossa. Dissemos que não e ela quis nos dar. Não aceitamos e fomos embora, desconversando. Andamos um pouquinho e na Champs Elysees um rapaz veio com a mesmíssima história. Com a aliança igualzinha! Aí, tivemos certeza que era golpe.

  21. Emerson 29 março, 2012 at 09:45 Responder

    Relatos, como esse, são sempre importantes. Isso já aconteceu comigo aqui mesmo no Rio de Janeiro. Quando eu era um jovem universitário e andava de ônibus, um cara fingiu que caiu na minha frente ao descer a escada pra saltar (eu estava logo atrás dele e tb iria sair). Fui ajudá-lo a se levantar. Porém, logo depois, ele resolveu ficar no ônibus. Estranhei e fui embora. Depois percebi que meu porta-moedas havia sido roubado. Ainda bem que foi só o porta-moedas e, acreditem ou não, estava totalmente vazio! (foi assaltar estudante, se deu mal…rs). Depois, pensando no ocorrido, lembrei-me que ele estava sentado algumas cadeiras à minha frente e sempre virava a cabeça pra trás (já estava me marcando e mostrando pro comparsa, que deve ter sido o autor do furto). Em relação à Europa, furto a turista é praticamente profissão em diversas cidades como Paris, Barcelona, Roma…Todo cuidado é pouco em qq parte do mundo.

  22. Ana Paula 9 abril, 2013 at 13:58 Responder

    Tive a infeliz felicidade de entrar em taxis com motoristas corruptos. Eles ficavam dando algumas voltinhas só pra cobrar um pouquinho mais sabe? Eu no banco de trás com as crianças e o motorista enrolando o marido na frente como se fosse o cara mais simpático do mundo. Dica : não fale com o taxista além do necessário e verifique se ele marca o taxímetro antes de começar a corrida.

Deixe seu Comentário

×Fechar