Um roteiro de feriado no Uruguai

387
5

A primeira parada foi em Punta del Diablo. Uma prainha roots, que lembra o Rosa ou a Ferrugem, em Santa Catarina. Muitas casas graciosas para alugar e um astral de praia nativa, com infraestrutura na medida, sem luxos e com uma boa faixa de areia, que talvez merecesse acessos mais organizados. Já era o meio da tarde e não tínhamos reserva para dormir aquele dia. Precisávamos avançar mais, então seguimos em direção à Punta Del Este.

Encontramos José Inácio, sofisticada e despretensiosa. Linda. Por lá começam as casas com arquitetura que remete à mediterrânea, pintadas em branco, compostas por pedras, madeira, material orgânico, com linhas definidas, porém cheias de cortes. Procuramos lugar pra ficar, mas os poucos que restavam iam além de nossas possibilidades. Seguimos em direção à Punta, embora não quiséssemos ficar lá. Paramos em Manantiales e La Barra, praias efervescentes com centrinhos que lembram os de Atlântida e Capão da Canoa, areias gaúchas que procuramos evitar. Como logo escureceria, paramos em hotéis por lá, mas nada de vaga. Todos nos indicavam Punta, onde chegamos com os últimos raios de Sol (já eram quase 21h).

Punta Del Diablo, Uruguai Imagem: Sara Luz

Punta Del Diablo, Uruguai Imagem: Sara Luz

José Inácio, Uruguai Imagem: Sara Luz

José Inácio, Uruguai Imagem: Sara Luz

Punta nos recebeu cheia de imponentes e grandiosos prédios na orla. Nossa busca por hotéis estava beirando a depressão, obviamente estavam todos lotados. Encontramos a Central de Hoteles lotada com casos similares ao nosso. A boa vontade do atendimento ironicamente acionou o booking.com para efetuar uma reserva promocional. Com sorte caímos no Hotel San Marcos, em San Rafael, onde um quarto superbacana e uma jantinha deliciosa nos esperavam.

Pela manhã, refeitos, uma caminhada rápida pelo calçadão, melhor dizendo, la rambla, incluindo as praias Brava e Mansa, com os emblemáticos dedos do gigante e estrada novamente. O caminho pelo litoral seguiu até um almoço na peculiar Piriápolis. Uma praia com estrutura de cidade antiga em meio às montanhas. Prédios centenários e uma rambla acompanhada por palmeiras imitam um recorte da Zona Sul do Rio de Janeiro, com direito a Copacabana Palace local, o tradicional Argentino Hotel Casino, que compunha com maestria a paisagem. Lugar bonito com pessoas simples, para ficar alguns dias curtindo águas limpas e calmas, porém supergeladas.

Punta Mansa - Uruguai

Punta del Este av Gorlero

Hora de seguir à Montevideo! Ficamos no barrio Tres Cruces, cravado por uma cruz gigante na Av. Gral Artigas, que lembra a visita do Papa João Paulo II à cidade, em 1987. O sol alto nos dava tempo para uma longa caminhada pela Av. 18 de Julio, que leva ao centro. Quebramos em Punta Carretas à procura de um bar, mas o que encontramos foi a rambla, o Rio da Prata e um chuvisqueiro que não atrapalhou o passeio. Algumas Pilsens depois, rumamos ao Bar Fun Fun, desde 1895 ao lado do Teatro Solis, um dos lugares mais bacanas da cidade com shows de tango e música (boa) da região. Imperdível.

Uruguai

O dia seguinte foi reservado à histórica cidade de Colonia del Sacramento, a cerca de 200km de Montevideo.  Nas margens do Rio da Prata, a pequena cidade portuária que conduz à Buenos Aires é um charme e carrega em si a mistura das colonizações portuguesa e espanhola.  Para quem não lembra as aulas de história, Sacramento foi fundada pelos portugueses em 1680 e tomada pelos espanhóis no ano seguinte. Uma confusão alimentada pelo Tratado de Tordesilhas, que deixava a posse da estratégica colônia indefinida. Por muitos anos a disputa seguiu, até que em 1828 a República Oriental do Uruguai se tornou independente.  De ambos os lados, influências podem ser vistas e sentidas com força na cidade que, como a própria nação uruguaia, já foi território brasileiro. Brigas à parte, Colonia é encantadora por suas casas, ruas, flores, azulejos, pelos detalhes da preservação e pelos inúmeros restaurantes distribuídos nas alamedas, onde se come bem sentindo a brisa do rio.

Colonia Del Sacramiento

Tiramos a terça para passear por Montevideo, pelo centro antigo, suas praças, suas feiras, o mercado del puerto, seus heroicos homens sobre o cavalo. Encerramos o feriado encantados pelas luzes da rambla, pelo pôr do sol no Prata, pela alegria que ele inspira. Diferente de uma folia carnavalesca, mas um espetáculo de harmonia e alegoria digno de nota 10.

rambla Sara

A Sara Luz passou o carnaval no Uruguai e escreveu para a gente. Valeu Sara!

Mande sua viagem para nós também!!  contato@ajanelalaranja.com



5 comments

Deixe seu Comentário

×Fechar