Serrinha do Alambari: um paraíso escondido no RJ

2209
3

Atualizado em 07/12/2019

A Serrinha do Alambari é um paraíso quase secreto! Ainda pouco conhecido dos turistas, a Área de Proteção Ambiental da Serrinha do Alambari pertence à cidade de Resende, mas fica muito próximo de outros três locais mais conhecidos: Penedo, Visconde de Mauá e Itaiaia.

Sobre a Serrinha do Alambari

A Serrinha do Alambari localiza-se no alto de uma serra de Mata Atlântica, a 186 km da capital do Rio de Janeiro. Embora o acesso não seja dos mais fáceis, vale a pena a visita, pois o lugar é realmente especial e diferenciado. Lá, você encontrará diversas cachoeiras e poços incríveis e estará sempre rodeado por montanhas e pela natureza deslumbrante.

Foto de https://resende.rj.gov.br/turismo/2

Uma dica importante é ir de carro, pois o transporte público da região é escasso. Lembre-se de revisar o veículo antes, as estradas não são das mais fáceis e a internet também não funciona plenamente, então, é importante estudar o caminho antes de ir.

O Clima na Serrinha do Alambari

Costuma chover bastante e o clima é frio, mas isso não significa, que você não encontrará lindos dias de sol na região. O importante é saber o melhor momento para visitar a Serrinha do Alambari.

Evite os meses de novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março, pois é quando mais chove na Serrinha e, assim, as trilhas ficam com muita lama, o que dificulta o passeio e aumenta a chance de tromba d’água.

Certamente, o melhor período para visitar a região acontece entre abril e outubro, quando o volume de chuva diminui bastante e as temperaturas costumam variar entre 17º a 30º.

As Cachoeiras e os poços

As cachoeiras e os poços são, com certeza, o grande lazer da região. São inúmeras cachoeiras de águas cristalinas e frias! As paisagens são dignas de quadro! E o melhor: várias cachoeiras e poços são de acesso fácil e simples.

Foto de https://resende.rj.gov.br/turismo/2

Uma dica legal para quem deseja conhecer a Serrinha do Alambari é o Camping Clube Brasil, um dos principais locais turísticos da região. O CCB possui uma boa área para acampamento, estacionamento, restaurantes, chuveiros de água quente, quadra de esportes, playground, sauna rústica, pavilhão de lazer, piscinas naturais, ducha de rio, quiosques e pontos de energia para carga de bateria de trailers.

Serrinha do Alambari

Mas, caso acampar não seja a sua escolha, você pode apenas visitar o local, porém precisa pagar a entrada, algo em torno de R$ 15,00 por pessoa. Dentro do CCB você terá acesso a diversos poços, muito bem sinalizados, são eles:

  • Bananal
  • Esmeralda
  • Da Coruja
  • Duchinha
  • Pinguela
  • Dourado
  • Poço da Sauna

Ainda aproveito para recomendar a visita à dois outros poços: Poço do Dinossauro e Poço do Céu. Eles ficam em uma propriedade privada e você terá que pagar uma taxa de R$ 35,00 por pessoa. ​

Para ficar, se hospedar perto da Serrinha, fique em Penedo no Hotel Brittânia que é muito bem avaliado no Booking, reserve nesse link.

Se for com as crianças, fique no Hotel do Papai Noel. Decorado com luzes e árvores de Natal, o Hotel do Papai Noel permite que você se sinta em clima de Natal em qualquer época do ano.

Fauna e Flora

No início dos anos 90, a Serrinha do Alambari foi transformada em área de proteção ambiental, o que ajudou bastante na preservação da natureza local. Inicialmente, predominou na Serrinha a Floresta Pluvial ou Floresta Latifoliada Perene Tropical – a Mata Atlântica. Apesar da região ter sido bastante desmatada, atualmente, a região vem se regenerando. Hoje é notável a presença de mata secundária com aspecto de mata primária.

A maioria das árvores possui mais de 20 metros de altura e copas amplas. As principais espécies são:

  • Quaresmeiras;
  • Embaúbas
  • Angicos;
  • Jacarés;
  • Ipês;
  • Canelas;
  • Figueiras;
  • Guatambus;
  • Palmito juçara.

A riqueza da fauna da Serrinha do Alambari também é visível. O local oferece excelentes condições para a manutenção de uma fauna rica em espécies. São inúmeros insetos pouquíssimos estudados.

Entre os mamíferos é comum encontrar: irara, gambás, tatumirim, preguiça, esquilo, porco-do-mato, paca, cutia, macacos, cachorro-do-mato, lobo guará, mão-pelada, onça parda e jaguatirica.

Serrinha do Alambari

A diversidades de aves também encanta! Podemos destacar algumas espécies: tucano-de-bico-verde, araçari-banana, saíra-sete-cores, saíra-douradinha, trinca-ferro, tiê-sangue, sabiá-una, sanhaço, juriti-cabocla, alma-de-gato, saci, anu-preto, anu-branco, jacu, inhambu, perdiz, curiango, seriema, urubu-preto, pomba-amargosa e gavião.

Tucano de Bico Verde

Os répteis e anfíbios também estão presentes na região. É abundante a presença da jararaca e a coral verdadeira. Também é fácil encontrar o lagarto, teiú e diversas espécies de sapos e pererecas.

Algumas dicas para quem vai visitar a Serrinha do Alambari

  • Carro é fundamental para o seu deslocamento pela região;
  • A estrada não é tão boa, por isso, redobre a atenção;
  • Levar um bom tênis é importante;
  • Levar protetor solar e repelente é recomendado;
  • No verão, fique atento as possibilidades de tromba d’água;
  • Recolha o seu lixo e respeite a natureza;
  • Faça a trilha do Poço do Céu e do Dinossauro com um guia;
  • As entradas nas propriedades devem ser pagas em dinheiro;
  • Nem a Serrinha do Alambari e nem Penedo possuem caixas eletrônicos, leve dinheiro.
Serrinha do Alambari
Pedra do Ovo Grande – Foto de https://resende.rj.gov.br/turismo/2

Quer conhecer mais lugares incríveis como a Serrinha do Alambari? Então, continue acompanhando o Janela Laranja! Conta aqui nos comentários qual a sua viagem preferida!



3 comments

Deixe seu Comentário

×Fechar