sexta-feira, maio 27, 2022
spot_img
HomeEuropa e DemaisAirbnb abre vagas para refugiados ucranianos: são mais de 100 mil lugares...

Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos: são mais de 100 mil lugares na Europa

A Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos e faz sua parte para amenizar o conflito. A guerra na Ucrânia está provocando efeitos em todo o mundo, principalmente na Europa. Atualmente, são mais de 2 milhões de refugiados que deixaram o país de origem em função do conflito, de acordo com informações publicadas na Folha de São Paulo.

pexels cottonbro 5077042 1
Photo by cottonbro from Pexels

Realmente esta é uma situação muito triste. Mas isso levou a empresa de hospedagem Airbnb a anunciar que vai oferecer moradia temporária para 100 mil refugiados.

Só para ter uma ideia do quanto isso é importante, somente em um espaço de oito dias a quantidade de pessoas que fogem do conflito atingiu 1 milhão. Já a Guerra na Síria, deflagrada em 2011, levou mais de dois anos para chegar ao mesmo patamar de refugiados. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), a crise tem o crescimento mais rápido de desalojados desde a Segunda Guerra Mundial.

Ao todo, segundo informações divulgadas pelas Nações Unidas, nos últimos dias, 677 mil ucranianos chegaram a diversos países próximos ou vizinhos à Ucrânia. Como um fator de comparação, isso representa mais do que a população de várias capitais da União Europeia. Entre elas, é possível citar Atenas e Helsinque, cada uma com uma quantidade inferior a 650 mil habitantes

Naturalmente, países próximos como Polônia, Alemanha, Hungria, Romênia e Eslováquia registram um número maior de refugiados oriundos do território ucraniano. No caso da Eslováquia, desde o dia 24 de fevereiro, foram mais de 46 mil que chegaram ao país. Para tanto, eles vieram pela fronteira oriental desde a invasão russa. As informações são do site schengenvisainfonews.com.

Por que é importante o fato de que o Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos: Eslováquia é considerado um “corredor seguro”

A invasão da Rússia à Ucrânia trouxe a necessidade imediata de deixar o local. Isto não somente em cidadãos residentes por lá, mas também em pessoas que estavam no país a trabalho ou estudo. Nesse sentido, muitos utilizam a Eslováquia para deixar o país em função da guerra. Assim, é considerado uma espécie de “corredor seguro” utilizado por cidadãos de todas as nacionalidades:


“A Eslováquia é usada como corredor seguro por cidadãos de vários países que tentam voltar para casa pelos nossos territórios. Gostaríamos de salientar que não apenas os ucranianos domésticos ficaram retidos na Ucrânia, mas também os estrangeiros que moraram lá por muito ou pouco tempo, trabalharam, estavam de férias ou estudaram lá”,
 diz o comunicado de imprensa publicado no site schengenvisainfonews. O site aponta diferentes relatos da mídia sobre estrangeiros que atravessam as fronteiras ucranianas. Isso ocorre principalmente para pessoas que nasceram em países situados na África ou no Oriente Médio.

Outro ponto importante diz respeito à flexibilização dos processos burocráticos para refugiados da guerra entrarem no país vizinho. Os cidadãos que vêm da Ucrânia não precisam apresentar documentos de viagem em função das circunstâncias extraordinárias impostas pela guerra. Em oposição, os cidadãos de demais países estão impedidos de acessar a Eslováquia. Mas se assim o fizerem, serão alvo de rígidos processos de fiscalização, como documentos, impressões digitais e outras medidas de identificação.

O comunicado do Ministério do Interior da Eslováquia, publicado em 25 de fevereiro, destaca que “Após uma avaliação individual, também permitiremos a entrada no território da República Eslovaca a pessoas que não tenham um documento de viagem válido (passaporte biométrico)”.

Ainda conforme o site schengenvisainfonews, outras medidas de auxílio de refugiados estão sendo aplicadas. O ministro do Interior, Roman Mikulec, revelou que o país está preparado para acolher cerca de 40.000 requerentes de asilo.

Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos em 14 países

As 100 mil vagas anunciadas pela empresa de hospedagem devem ser atendidas em 14 países que pertencem à União Europeia. De acordo com notícia publicada no schengenvisainfo.com, o CEO do Airbnb, Brian Chesky, enviou uma carta aos líderes dessas nações para permitir que os anfitriões do serviço abrigassem temporariamente pessoas sofrendo com a guerra. Assim, o Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos.

“Precisamos de ajuda para atingir esse objetivo. A maior necessidade que temos é de mais pessoas que possam oferecer suas casas em países próximos, incluindo Polônia, Alemanha, Hungria e Romênia”, reafirmou ele em um tweet.

Segundo a revista Forbes, inicialmente foram enviadas quatro cartas aos presidentes da Polônia, Hungria, Alemanha e Romênia. A carta menciona que o Airbnb pretende “trabalhar em estreita colaboração com os governos para melhor atender às necessidades específicas de cada país, inclusive oferecendo estadias de longo prazo”.

Além do acolhimento de refugiados, as ferramentas que a plataforma oferece estão sendo usadas a favor dessas pessoas que estão sofrendo com os efeitos da guerra. Assim, dezenas de milhares de usuários do sistema em todo o mundo estão fazendo reservas por meio do aplicativo. Assim, esta é uma forma de encaminhar doações para as pessoas desalojadas.

“Em 48 horas, 61.402 noites foram reservadas na Ucrânia. São US $ 1,9 milhão (€ 1,7 milhão) para os anfitriões necessitados. Uma ideia tão legal da nossa comunidade. Obrigado”, comentou o CEO Chesky.

Um dado repassado pelo CEO é que mais da metade das reservas – cerca de 34 mil pessoas – são oriundas de usuários dos Estados Unidos. O restante vieram do Reino Unido (8 mil) e do Canadá (que contabilizou aproximadamente 3 mil reservas). O Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos e isto é muito importante.

Mais de 180 mil pessoas buscam refúgio na Polônia

A Romênia e da Moldávia divulgaram que aproximadamente 26 mil cidadãos ucranianos chegaram aos seus países nos últimos dias. Porém de acordo com o que foi apontado por seus líderes, parte dos refugiados tem a intenção de se dirigir para a Europa Ocidental. Isto porque cerca de 100 pedidos de asilo foram solicitados na Moldávia e 11 na Romênia.

Outro país que faz fronteira com a Ucrânia, a Polônia, informou que ao longo dos últimos dias foram mais de 180 mil pessoas em situação de guerra que buscaram acolhimento no país vizinho.

Em reportagem publicada no site da BBC News,prefeito da cidade de Przemysl -situada junto à fronteiraWojciech Bakun, afirmou que vai precisar de ajuda de outros países caso o conflito permaneça nas próximas semanas.

“Nós recebemos 180 mil refugiados em dez dias. Se continuar assim, no final do mês teremos tido meio milhão de pessoas entrando aqui”, destacou Bakun.

A cidade próxima ao território ucraniano possui uma população de apenas 60 mil habitantes. Ela conta com o auxílio de centenas de voluntários residentes que disponibilizam suas residências para abrigar refugiados, dando condições de transporte, alimento e conforto emocional.

Metade dos refugiados da Ucrânia é composta por crianças

O Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos e isso é muito importante. De acordo com informações publicadas pela Ancur, a agência da ONU para refugiados, até esta terça-feira (8), metade das cerca de 2 milhões de pessoas que deixaram a Ucrânia em função da guerra é composta apenas de crianças. A informação foi dada pelo porta-voz da Unicef (Organização das Nações Unidas), James Elder.

Assim, cresce a preocupação de entidades internacionais sobre os crescimento desse número com a continuidade do conflito. “Começaremos a ver pessoas sem recursos e sem conexões. Essa será uma situação cada vez mais complexa de gerenciar para os países europeus daqui para a frente e será necessário haver ainda mais solidariedade de todos na Europa”, ressaltou o alto comissário da Ancur, Fillippo Grandi, à Folha de São Paulo.

De acordo com as autoridades, muitas das tentativas de abrir corredores comunitários parta facilitar a entrada de refugiados em países próximos não apresentaram o resultado esperado até então. Mas na manhã desta quarta-feira (9) um novo acordo foi alcançado para garantir a segurança dos refugiados. Isto de acordo com o site Folha de Pernambuco.

Ainda conforme a mesma notícia, caso os conflitos tenham prosseguimento a estimativa pior. Neste caso, o número de refugiados da Ucrânia atinja o patamar de quatro milhões de pessoas.

Antes da guerra entre ser iniciada, a Ucrânia contava com uma população mais de 37 milhões de habitantes. Isto nos territórios controlados por Kiev. Mas o número não inclui a população residente na na península da Crimeia. A região foi unificada ao território da Rússia em 2014. Além disso, também não contabiliza os habitantes que estão localizados nas duas zonas controladas por integrantes de grupos separatistas pró-russos situados na área leste do país ucraniano.   

Seja como for, a iniciativa de que o Airbnb abre vagas para refugiados ucranianos é muito importante. Ela tende a ajudar muita gente que está sofrendo com os impactos da guerra.

Veja mais dicas abaixo! 

O Canadá vai precisar de imigrantes logo mais!

Como morar fora depois da pandemia!

Veja também como será viajar depois da Pandemía!

Conheça o Mundo sem sair de casa com esses 8 documentários

Gosta de futebol? Divirta-se e informe-se no Futeblog.com.br

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment - Seguros Promo

Mais populares